Amazon pretende atuar no ramo de seguros e de saúde

Bezos intima concorrentes a pagarem mais de US$ 15 a hora aos respetivos trabalhadores.

Acredite se Puder / 16:16 - 11 de abr de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Amazon planeja aumentar a abrangência das suas atividades, buscando outros setores como a robótica, os seguros ou a saúde. A revelação da estratégia da empresa foi feita na carta anual que Jeff Bezos envia aos acionistas, desde 1977. Na deste ano também consta a informação da possibilidade da companhia registrar falhas de alguns bilhões de dólares, consequência de negócios mal sucedidos. Para o CEO da varejista online, esses possíveis acontecimentos negativos vão gerar perdas aceitáveis se for levada em consideração as dimensões da empresa. Como exemplo, Bezos relembrou o Amazon Fire, um smartphone que foi descontinuado em 2015 e que custou à empresa US$ 170 milhões. “Fomos capazes de tirar lições e acelerar os nossos esforços na construção do Echo e da Alexa”, acrescentou, apontando dois daqueles que são atualmente produtos bandeira da Amazon.

O CEO da Amazon aproveita a carta para os acionistas e apresenta um desafio aos concorrentes, intimando-os a pagarem US$ 15 a hora aos respetivos trabalhadores, igualando o nível da Amazon, para logo a seguir levantar a fasquia: “Melhor ainda, vão até aos US$ 16 e devolvam-nos o desafio. É o tipo de competição que vai beneficiar-nos a todos”, disse Bezos.

 

Magazine Luiza e B2W querem a Netshoes

Magazine Luiza e B2W confirmaram, nesta quinta-feira, o interesse pela compra da Netshoes, varejista de artigos esportivos. Existem rumores de que o Mercado Livre também está no páreo. E os investidores já começaram a precificar as duas empresas listadas, de acordo com suas expectativas para este negócio. Para o Magazine Luiza, a compra dessas operações significaria entrar em um novo rol de produtos, o de vestuário, enquanto a B2W compraria pela primeira vez uma empresa de e-commerce, pois desde a fusão entre Submarino e Americanas.com, a B2W só adquiriu companhias de software e logística.

A Netshoes Cayman Ltd. foi listada na Nyse em 2017, sendo precificada no IPO por US$ 14,50 e chegou ao máximo de US$ 24,50. Porém, entre 2014 e 2018, acumulou prejuízo de quase US$ 100 milhões, e a cotação de seus títulos perdeu quase 92%, sendo atualmente negociada ao redor de US$ 2. Com isso, seu valor de mercado baixou para a faixa de US$ 68 milhões. Pelos cálculos da XP Investimentos, a aquisição, sem prêmio, sairia por US$ 107 milhões, por uma empresa com um valor transacionado de R$ 2,5 bilhões. Para a maioria dos analistas, o negócio é bom no médio prazo.

 

Processo antigo da CVM vira novo para ‘O Globo’

Por encontrar pequenas infrações numa auditoria realizada em 2016, a Comissão de Valores Mobiliários resolveu mostrar sua lerdeza e abrir um processo contra a XP Investimentos, seu fundador Guilherme Benchimol e o diretor jurídico Fabrício Cunha de Almeida, por serem os responsáveis pelo cumprimento da Instrução CVM 505. Caramba, as infrações foram as seguintes: a) faltou a indicação do diretor no site da CVM; b) não houve a formalização de procedimento escrito para identificação de comitente final e também não houve procedimento escrito de numeração de TEDs no sistema. A XP não criou nenhum problema ou prejuízo para nenhum dos seus clientes

O julgamento do processo teve início em dezembro, e foi interrompido, pois o diretor Henrique Machado pediu vistas e agora acha que a XP tem pagar multa de R$ 200 mil e Benchimol, R$ 100 mil. O Globo, no entanto, deu a notícia como se fosse nova.

 

Estoques dos EUA derrubam cotação do petróleo

O aumento das reservas norte-americanas de petróleo na semana passada, fazendo desaparecer a diferença que surgirá com a redução da produção por parte da Organização de Países Exportadores de Petróleo e respectivos aliados. O West Texas Intermediate para entrega em maio perdeu 1,63% e retornou para US$ 63,56 por barril, enquanto que os preços dos contratos do Brent para entrega em junho desvalorizarem 0,95% e caíram para US$ 71,05.

 

Libra em alta depois das conversas sobre Brexit

A libra apresentou recuperação de 0,06% para € 1,1293. Especialistas apontam sinais alentadores nas conversas sobre o Brexit, mas que ninguém sabe quais são na verdade, pois a premier Theresa May está sempre evasiva e enrolando sobre os planos do Reino Unido.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor