Advertisement

Alerj tenta soluções para corte de 30% nas universidades

Presidente da comissão, Waldeck diz que 'cortes no orçamento destas instituições federais ferem a estratégia de construção de um país sobera

Rio de Janeiro / 10 Maio 2019 - 15:10

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A Comissão de Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), presidida pelo deputado estadual Waldeck Carneiro (PT), fará na próxima terça-feira, a partir de 9h, no plenário da Casa, a sexta audiência pública desta legislatura. Os presentes discutirão os desafios e as perspectivas, bem como as demandas, das universidades e dos institutos federais, principalmente com relação ao corte de 30% do orçamento anunciado pelo Ministério da Educação.

Participarão da reunião representantes da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia dp Riod e Janeiro, da Secretaria de Estado de Educação, da Universidade Federal Fluminense (UFF), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj), da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), da Fundação Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (Uezo), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNI-Rio), da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), do Instituto Federal Fluminense (IFF), do Colégio Pedro II, da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) e da Fundação Cecierj, Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet) e Museu Nacional, além de outras entidades da pesquisa, ciência e inovação brasileiras.
"Há um desmonte, promovido pelo Governo Federal, da educação pública no país. Estamos na luta por uma educação livre, crítica e emancipada. As universidades são locais vocacionados para a pluralidade de ideias. Os cortes no orçamento destas instituições federais ferem a estratégia de construção de um país soberano que se baseia na pesquisa, na inovação e no conhecimento. Se não revertermos este processo, não haverá condições de funcionamento, por exemplo, da UFF, onde sou professor. Debateremos este retrocesso civilizatório e buscaremos encaminhamentos para encontrar soluções", afirma Waldeck sobre a audiência pública.
Na primeira audiência pública promovida pela Comissão de Ciência e Tecnologia, no dia 12 de março, o Secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Leonardo Rodrigues, apresentou um balanço de sua gestão. Na segunda, sete doas depois, houve discussão dos desafios, perspectivas e demandas da Uerj. Já no dia 26, foi realizado debate sobre as questões da Uenf, enquanto a Uezo foi pauta no dia 2 de abril. A Faetec fechou as audiências já realizadas este ano, em 30 de abril.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor