Agenda traz poucos indicadores e mercado segue à espera do Copom

IBC-Br menor que o esperado reforça a expectativa de mais um corte nos juros na reunião da semana que vem.

Opinião do Analista / 13:56 - 13 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Bom dia.

.

Agenda traz poucos indicadores e mercado segue à espera do Copom - IBC-Br menor que o esperado ficando em -0,16% em julho contra um resultado positivo na última divulgação reforça a expectativa de mais um corte nos juros na reunião da semana que vem. Do lado político, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, intensifica as conversas para manter o cronograma da reforma da Previdência com a votação em primeiro turno para o dia 24 e no segundo turno para o dia 10 do mês que vem.

.

Sexta-feira, 13 não assusta ninguém lá fora - O dia tem alguns dados importantes na agenda, com destaque para vendas no varejo nos EUA, antes da abertura ainda, com expectativa de desaceleração, o que pode reforçar as apostas em um viés mais dovish por parte do Fed na reunião de política monetária da próxima semana. Além disso, a balança comercial da Zona do Euro mostrou dados positivos em julho, mas o que anima mesmo os investidores é a esperança de uma solução para o conflito comercial com os chineses iniciado por Trump. Após o adiamento de tarifas por parte dos americanos e a possibilidade de um acordo parcial levantada pelo presidente americano, hoje os chineses sinalizaram que podem excluir alguns itens agrícolas da lista de produtos que teriam a tarifa elevada em retaliação às ações americanas. Após um período em que a paz parecia cada vez mais longe, essa semana trouxe sinalizações bem positivas que impulsionam os principais índices internacionais.

.

Operações da Vale (VALE3) - Duas notícias no radar da mineradora hoje, a começar pelo retorno das operações do empreendimento de níquel Onça Puma, com sede em Ourilândia do Norte - Pará, devido a uma decisão favorável do STF. As minas estavam paralisadas desde setembro de 2017 e a usina de processamento desde junho desse ano, devido à acusações de que a atividade da Vale teria prejudicado comunidades indígenas que vivem na região. Cabe destacar que no 2T19 as operações de níquel representaram cerca de 8% do Ebitda consolidado da companhia e que a retomada vem num momento oportuno, frente a expectativa de um mercado global deficitário no segundo semestre. Outra novidade é a decisão da Agência Nacional de Mineração de suspender uma frente de lavra na mina de Brucutu, sob justificativa que a execução excede os limites de reservas aprovadas na área. A Vale vai recorrer e ressalta que a medida não vai afetar a produção da mina, tampouco o guidance de produção de minério de ferro e pelotas. Vislumbramos que a primeira decisão vai se sobressair, influenciando de forma positiva os papéis da companhia ao longo do pregão hoje.

.

Trisul (TRIS3) levanta R$ 405 milhões em oferta - Foram 40,5 milhões de ações emitidas, ou seja, a quantidade inicial de ações da oferta, 30 milhões, mais todo o lote adicional de 10,5 milhões de ações. O preço foi fixado em R$ 10, um pouco abaixo do patamar dos últimos dias, mas se considerarmos que não muito tempo atrás, no começo de agosto, o papel estava na casa dos R$ 8, a oferta foi bem positiva e reforça o caixa da companhia para seguir entregando um forte crescimento, especialmente se aproveitando da necessidade das outras incorporadoras de equilibrar os lançamentos com a venda de estoques, que seguem elevados.

.

Bons negócios!

.

Coinvalores

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor