Abertura de lojas este ano cai 25%

Falta demanda: fluxo de consumidores no varejo é 5% menor em agosto.

Conjuntura / 22:10 - 20 de set de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

Devem ser abertos 8,7 mil pontos comerciais no país até o fim do ano, de acordo com levantamento da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Contudo, esse número deve ser 25% inferior ao registrado em 2018 (11,7 mil).
Segundo o economista da CNC Fabio Bentes, o resultado é “reflexo do fraco nível de atividade da primeira metade de 2019”, quando foram abertos apenas 3,3 mil pontos comerciais. No mesmo período do ano passado, foram inauguradas 5 mil lojas. No segundo semestre de 2018, o número passou para 6,7 mil estabelecimentos.
A abertura de lojas ocorreu em seis dos dez segmentos do varejo. Ao contrário do que aparenta nas ruas, farmácias, drogarias e perfumarias não lideraram o número de novos estabelecimentos, ficando em terceiro lugar, com 397 lojas. À frente vieram hiper e supermercados (2,7 mil) e utilidades domésticas e eletroeletrônicos (450). Por outro lado, as lojas de materiais de construção foram as que mais fecharam as portas (456 lojas).
O fluxo de consumidores no varejo físico brasileiro em agosto de 2019 caiu tanto em relação ao mesmo mês do ano passado (queda de 5%) quanto ao mês anterior (-7,3%). Os dados são da Seed Digital. No período acumulado de janeiro a agosto de 2019, a queda registrada foi de 3,4% frente a igual período de 2018.
“Os números mostram que o varejo, assim como os outros setores da economia, demora para se estabilizar e iniciar uma trajetória de recuperação. Nos próximos meses os indicadores tendem a ter resultados melhores, com a injeção dos recursos do FGTS e do PIS/Pasep na economia, além dos pagamentos de benefícios como o 13º salário. Datas comerciais fortes – Dia das Crianças e Black Friday – tendem a melhorar os dados”, diz Sidnei Raulino, CEO da Seed Digital.
Em agosto de 2019, as lojas que estão em shopping centers apresentaram quedas de 5,6% e de 10,6% nas comparações com agosto do ano passado e com julho de 2019.
 

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor