Advertisement

A importância do corpo consular na promoção do Rio

A promoção de um destino turístico não passa apenas por campanhas promocionais ou participação em eventos....

Opinião / 21 Setembro 2018

A promoção de um destino turístico não passa apenas por campanhas promocionais ou participação em eventos. Há instrumentos importantes, algumas vezes desconhecidos dos atores do marketing, como é o corpo consular estrangeiro sediado numa cidade. O mesmo tem papel fundamental nas informações que envia aos seus países de origem, através de relatórios periódicos.

Tais documentos, que de alguma forma são sigilosos, trazem relatos de experiências vividas pelos diplomatas, outras trazidas por turistas aos consulados ou ainda aquelas veiculadas na televisão, jornais e internet. No fundo, são mecanismos de orientação para investimentos mas também para a vinda de turistas internacionais.

 

Relatos ajudam na confecção

de avisos positivos ou negativos

 

A cada dia que passa, antes de iniciar uma viagem, o futuro consumidor consulta sites com informações conceituais dos destinos turísticos, em que há avaliação dos mesmos e até recomendações para não visitá-los: são os chamados “travel advisories”. Sinceramente, os mesmos podem fazer com que alguém desista de uma viagem ou até se sinta incentivado. Aqui, temos o “dedo” dos cônsules que, com seus relatos, vão ajudando na confecção de tais avisos positivos ou negativos.

É assim crucial que os diplomatas estrangeiros sejam convidados, de forma sistemática, a entender um pouco melhor o Rio de Janeiro, com seus projetos e sobretudo esclarecer algumas realidades. O ideal é a realização de cafés da manhã com convidados, que, além de apaixonados pelo Rio, possam motivar tais representantes estrangeiros a se tornarem nossos grandes promotores. Além de serem levados a conhecer o potencial turístico, como um todo, através do seu conjunto de cidades maravilhosas.

É claro que vamos encontrar diplomatas que não se interessam por tal colaboração, mas seguramente existem vários, que quando aqui chegam, se apaixonam por nosso jeito de ser, nossas belezas naturais e culturais mas sobretudo pela diversidade que norteia nosso dia a dia. E se conseguirmos pelo menos uns oito países aliados já estaremos no caminho certo e poderemos também trocar experiências, realizar seminários e entender que o mundo globalizado precisa de ajuda mutua.

Não vamos nunca desperdiçar esforços promocionais que estão muito perto de nós e que podem, a curto prazo nos ajudar efetivamente. É um caminho que o Rio não pode deixar de traçar, de forma constante e respeitando os diplomatas que aqui chegam e se enamoram eternamente por nossas maravilhas.

 

 

Bayard Do Coutto Boiteux

Vice-presidente executivo da Associação dos Embaixadores de Turismo do RJ (www.embaixadoresdorio.com.br).