Impactado por cenário econômico, mercado segurador teve retração

SEG NOTÍCIAS - 25.10: Pesquisa aponta desempenho do mercado segurador latino-americano de 2008 a 2018.

Seguros / 17:18 - 25 de out de 2019

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

A última edição do relatório "O mercado latino-americano de seguros", produzido pelo Serviço de Estudos da Mapfre e publicado pela Fundación Mapfre, aponta que apesar da evolução positiva do setor de 2008 a 2018, ainda há um longo caminho a percorrer para alcançar um nível de segurança considerado economicamente necessário e benéfico para a sociedade. A análise foi feita em 19 países, incluindo o Brasil.

No ano passado, o volume de prêmios na região totalizou US$ 150,6 bilhões, 3% do mercado global - uma queda de 5,5%, frente ao crescimento de 8,6% de 2017. A contratação de seguros de Vida representou 44,6% desse montante, queda de 7,2% em dólares, enquanto a de Não Vida (55,4% dos prêmios totais da região) experimentou redução de 4%. Esses retrocessos estão relacionados com depreciações do câmbio (em especial, o peso argentino e o real).

Quando o mercado segurador é medido nas moedas locais, uma vez corrigido o efeito da inflação, o comportamento se mostra positivo, principalmente no México, na Colômbia, no Peru e no Chile. O Brasil, entretanto, é um dos destaques negativos, com queda em Vida e Não Vida, com uma diminuição relevante em Automóveis (- 7,4%).

Na América Latina, o índice de inserção (prêmios/PIB) foi de 2,9% em 2018, igual ao ano anterior. O número também se manteve estável em Vida (1,3%) e Não Vida (1,6%). Ao longo da década 2008-2018, a inserção total na região cresceu 24,4%.

O indicador de densidade (prêmios per capita) ficou em US$ 246,6, 6,4% abaixo do registrado em 2017, rompendo a série de dois anos de aumentos consecutivos, novamente resultado da depreciação de algumas moedas locais (real e peso argentino) frente ao dólar e também, de forma mais estrutural, da queda do mercado de seguros de Vida no Brasil.

A Abertura de Proteção do Seguro para o mercado latino-americano ficou em US$ 254,3 bilhões no ano passado, 1,9% menor que a estimada em 2017. Desta forma, o mercado potencial de seguros na América Latina em 2018 (soma do mercado de seguros real e o potencial de seguros) foi de US$ 404,9 bilhões, 2,7 vezes o mercado atual na região.

Durante o período 2008-2018, o mercado de seguros da região registrou uma taxa de crescimento anual média (em dólares) de 4%, integrada por uma alta de 6,2% em Vida e de 2,6% em Não Vida. Se for mantida essa dinâmica ao longo da próxima década, a taxa de crescimento será insuficiente (- 6,4 p.p.) para cobrir a abertura de seguros determinada em 2018.

O relatório inclui uma nova estimativa do Índice de Evolução do Mercado (IEM), que aponta tendência e maturidade do setor de seguros. Esse indicador mostra avanços anuais sustentados ao longo da última década, embora com um leve retrocesso em 2014 e novamente em 2018.

"Muitos fatores podem contribuir para ampliar a penetração do seguro, além do caráter econômico, como ter um marco regulatório eficiente, o que já aconteceu no Brasil, e a promoção da educação financeira, um trabalho que realizamos por meio da Fundación Mapfre", avalia afirma Fernando Pérez-Serrabona, CEO da Mapfre Regional Brasil e representante da instituição no país.

"Além disso, a iniciativa privada também pode contribuir com a difusão do conhecimento do seguro e a melhoria de sua percepção por parte da sociedade, como também viemos fazendo há anos, por meio da publicação de estudos e pesquisas como este." discorre Manuel Aguilera, diretor geral de Serviços de Estudos da Mapfre.

No ano passado, o mercado brasileiro de seguros teve queda nominal de 0,9% e real de 4,4%, chegando a R$ 210.319 bilhões (US$ 57.567 bilhões), impactado pelo momento econômico. Esse comportamento é devido à queda dos prêmios do segmento de Vida.

Os produtos VGBL reduziram 8,5% nominalmente, após a moderação registrada em 2017, devido à queda dos juros, bem como à forte apreciação e atratividade dos ativos financeiros no mercado de capitais. Já os seguros de Vida individual e coletivo, juntos, tiveram aumento nominal de 11,3% e real de 7,4%. Ao todo, os prêmios do segmento de Vida cresceram R$ 129.975 bilhões (US$ 35.576 bilhões), redução nominal de 4,2% e real de 7,6% real em relação a 2017.

No ano passado, o volume de prêmios dos seguros Não Vida em 2018 foi de R$ 80.344 bilhões (US$ 21.991 bilhões), um aumento nominal de 5,1% (superior aos 2,3% do ano anterior) e real de 1,4% (-1,1% em 2017). Em valores absolutos, os segmentos de Automóveis e Incêndios foram os que mais contribuíram para o crescimento, e em termos relativos deve-se adicionar Transportes, com alta de 15,2%.

Se fossem consideradas as contribuições de Previdência Privada, seguros de Saúde e Capitalização, as receitas totais do mercado segurador em 2018 seriam de R$ 287.783 bilhões (US$ 78.770 bilhões), com um leve aumento nominal de 0,5% em relação ao ano anterior.

Em 2018, as provisões técnicas totalizaram R$ 965.974 bilhões (US$ 249.316 bilhões), com o negócio de Vida representando aproximadamente 92,1% do total, caso seja considerado o negócio de previdência.

A taxa combinada total do setor brasileiro de seguros melhorou 1,9 p.p. em 2018 em relação ao ano anterior (91,8% frente a 93,7% em 2017), devido à melhora da taxa de sinistralidade em 2,6 p.p..

Em linhas gerais, os indicadores de rentabilidade do mercado segurador nacional melhoraram em 2018. O resultado líquido das empresas do setor aumentou 8,7% em 2018 - R$ 18.818 bilhões (US$ 5.151 bilhões), com um aporte positivo dos investimentos.

O índice de inserção foi de 3,1%, superior em 0,9 p.p. ao de 2008 e menor em 0,1 p.p. em relação a 2017, influenciado pelo menor valor dos prêmios de Vida. Por outro lado, o nível de densidade do seguro foi de R$ 1.004,1 (US$ 274,8), 1,6% menor que em 2017. Finalmente, o nível de aprofundamento, em 2018, foi posicionado em 61,8%, 12,5 p.p. acima do observado em 2008 na América Latina), porém com uma queda de 2,2 pp no último ano.

A Estimativa da Abertura de Proteção do Seguro (BPS), em 2018, ficou em R$ 314,5 bilhões (US$ 86.082 bilhões), equivalente a 1,5 vezes o mercado de seguros reais no Brasil no fim do ano passado, sendo que 51,6% desse valor correspondeu a seguros de Vida (R$ 162,4 bilhões); e 48,4%, de Não Vida (R$ 152,1 bilhões). De 2008 a 2018 a participação dos seguros de Vida caiu quase 11 p.p.

O mercado potencial de seguros no Brasil em 2018 (a soma do mercado real e da BPS) foi estimado em R$ 524,8 bilhões (US$ 143,649 bilhões); ou seja, 2,5 vezes o mercado de seguro total.

O IEM mostra uma tendência geral positiva na década pesquisada, que faz inclusive com que o indicador seja positivamente divergente da tendência média dos mercados latino-americanos. Contudo, entre 2017 e 2018 foi observado um recuo.

Em 2018, 122 entidades seguradoras atuavam no país, duas a mais que em 2017. O mercado nacional apresenta uma tendência ascendente nos níveis de concentração.

.

SEGURO CIDADÃO

Exame preventivo contra câncer de mama - Outubro é marcado como o mês de conscientização do combate ao câncer de mama e a Bradesco Saúde, mais uma vez, faz um alerta sobre a importância do exame preventivo anual para a detecção precoce, aumentando as chances de cura. Além disso, a seguradora reforça a importância da adoção de hábitos saudáveis para evitar o câncer e outras doenças.

Levantamento feito pela Bradesco Saúde revela que, nos últimos quatro anos (2015 a 2018), cerca de 62% das seguradas acima de 40 anos fizeram a mamografia. Até setembro de 2019, quase a metade das mulheres assistidas pelo plano, e indicadas para o preventivo, já realizaram o exame. A expectativa é que esse número aumente até o fim do ano, com as campanhas educativas promovidas pela seguradora e sociedade.

"Nosso programa de promoção à saúde, Juntos Pela Saúde, incentiva mulheres de 35 anos com risco elevado ou a partir dos 40 anos para realização do exame clínico das mamas e mamografia anual. Além disso, identificamos o grupo de pacientes já em tratamento oncológico para acompanhamento de sua jornada, oferecendo as melhores alternativas às necessidades encontradas. Esse conceito de gestão de saúde tem como foco o beneficiário para melhor direcionamento do tratamento", afirma Thaís Jorge, diretora da Bradesco Saúde.

Conforme levantamento da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) e do Ministério da Saúde, estima-se que 30% dos casos de câncer de mama podem ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como a prática de atividade física regular, alimentação saudável, manutenção do peso corporal adequado e evitando o consumo de bebidas alcóolicas. Essas informações também são difundidas pela Bradesco Saúde por meio do Programa Juntos Pela Saúde.

Mais comum entre as mulheres, a maioria dos casos da doença ainda tem sido diagnosticado já em estágios avançados. Portanto, campanhas de prevenção contra a doença, como "Outubro Rosa", são fundamentais para alertar a importância do diagnóstico precoce, que aliadas ao tratamento possibilitam melhores resultados à saúde.

.

Dia Nacional da Saúde Bucal Nesta sexta-feira, 25 de outubro, é celebrado o Dia Nacional da Saúde Bucal, data comemorada há 17 anos no país. Neste sentido, a cirurgiã-dentista Daniela Rossler, coordenadora do Porto Seguro Odontológico preparou algumas dicas para manutenção da saúde bucal.

Uma alimentação saudável tem impacto direto no funcionamento do organismo e, consequentemente, na saúde da boca. Daí a importância de consumir alimentos mais leves e ingerir bebidas alcoólicas com moderação. Além disso, é de suma importância não fumar, pois além de causar manchas nos dentes, o cigarro pode causar diversas doenças e ser letal.

Faça sua higiene bucal com regularidade. Após cada refeição, reserve um tempo para cuidar de sua boca. Escove pacientemente os dentes e a língua, e não deixe fora da escovação gengivas e bochechas. Além disso, utilize fio dental para que a limpeza seja completa. Isso evita a proliferação de bactérias que causam mau hálito e cáries. E não deixe de fazer a sua higiene bucal antes de dormir. Ao longo da noite de sono, a produção de saliva diminui e isso aumenta a probabilidade de desenvolvimento de cáries.

A cada dia que passa, surgem novas tecnologias e possibilidades para uma escovação mais adequada e confortável. Por isso, solicite auxílio ao seu dentista na escolha da escova de dentes atentando-se com relação a maciez das cerdas e ao tamanho da cabeça da escova, pois essas características são importantes para uma correta escovação.

É importante ter sempre ao seu alcance um kit de higiene bucal. O cuidado com a saúde bucal deve ser contínuo e sabemos que nem sempre seguimos uma rotina no nosso dia a dia.

Por fim, visite o seu dentista periodicamente. O contato regular com um profissional de odontologia aliado ao seu cuidado diário garantem segurança e tranquilidade para um sorriso saudável.

.

Mobilidade A educação como base da boa convivência em um trânsito com múltiplos modais de locomoção e o impacto que uma mudança de cultura na escolha do transporte pode ter na qualidade de vida das pessoas e no modo como aproveitam a cidade. O 1º Summit de Mobilidade da HDI Seguros, realizado na última quarta-feira, na Distrito Fintech, discutiu o papel de empresas, poder público e cidadãos na transição para uma mobilidade mais humana.

O conceito se baseia em dois pilares: experimentação de novas alternativas de transporte e foco na proteção das pessoas que se movem por meio deles. Para Ana Luiza Dal Pian, gerente de Produtos da HDI Seguros, uma questão fundamental no processo é se desapegar de conceitos antigos. "Como quebrar a barreira de que a bicicleta, por exemplo, pode sim ser um modal que leva as pessoas a qualquer lugar com eficiência e conforto?", perguntou a executiva, que foi mediadora dos dois debates do evento.

"É preciso experimentar", opinou Ricardo Del Claro, CEO da Santuu. "Os novos modais levaram milhares de pessoas para a rua, influenciando até na relação delas com o espaço urbano", avaliou o executivo. Já Márcio Bern, CEO da VAH, identifica uma mudança de comportamento como o motor dessa mudança. "As pessoas têm começado a perceber que há formas mais econômicas e saudáveis de mobilidade, de que é possível viver sem o carro", frisou.

O fundador e CEO da Bikxi, Danilo Lamy, acrescentou que a relevância da bicicleta como um modal ativo é recente, e que a harmonia em um trânsito que as privilegia depende de uma relação baseada no respeito. "As cidades foram desenhadas em torno do carro, mas é preciso ter também atenção ao pedestre, inclusive cadeirantes", lembrou, ponderando que atingir a maturidade suficiente para isso exige uma mudança cultural, que leva tempo.

Outro ponto fundamental na consolidação desse novo contexto de mobilidade é a tecnologia que dá suporte à prestação dos serviços de transporte. No painel que debateu o futuro da mobilidade, Thiago Mendonça, CEO da Turbi, enfatizou a importância de as soluções estarem disponíveis o tempo todo para fomentar essa mudança de comportamento de consumo. "A palavra é confiança: o usuário precisa ter a certeza de que será atendido quando for preciso", defendeu.

Na mesma linha de raciocínio, Ricardo Cabral, CEO da Riba Share, destacou a estruturação operacional como ponto-chave. No modelo de negócio da startup, que distribui modais elétricos pela cidade, estar preparado para gerenciar crises de disponibilidade do serviço e monitorar a situação em escala 24/7 é básico para consolidar-se como uma opção junto ao público.

Por sua vez, o diretor Latam da Waze Carpool, Douglas Tokuno, comentou que a tecnologia oferece às pessoas a possibilidade de criar comunidades, que acabam transcendendo a própria plataforma, mantendo o serviço sempre ativo independente dela. "Os usuários criam grupos próprios a partir do relacionamento que criam pelas caronas trocadas. Em casos de bug, continuam usando seus carros de forma otimizada, ou seja, já internalizaram o conceito", comentou.

.

ENDOSSANDO

Mato Grosso do Sul A Bradesco Auto/Re aposta no mercado sul-mato-grossense e investe em novidades na região. Entre elas, a inauguração do primeiro Centro Automotivo - Bradesco Auto Center (BAC) do estado, inaugurado nesta quinta-feira, dia 24 de outubro, e divulgação do produto Auto Light, que promete atrair moradores da região. "As novidades representam a expansão da marca Bradesco Auto/Re em mercados promissores, como é o caso do Mato Grosso do Sul", explica Rodrigo Herzog, superintendente de operações na Bradesco Auto\Re.

Agilidade no atendimento é uma prioridade dos Centros Automotivos da Bradesco Auto/Re por todo país. "O diferencial do BAC tem sido o atendimento rápido, completo e integrado proporcionado pela qualidade dos serviços em um único lugar. Essa é a 38ª unidade do BAC, que atualmente possui uma rede espalhada por 18 estados", ressalta Herzog. O espaço conta com diversos serviços especiais, que prometem facilitar a vida dos condutores e auxiliar na manutenção de veículos. O evento de inauguração contou com a presença do superintendente-executivo de Produtos Auto, Eduardo Menezes, também do superintendente-executivo comercial, Luiz Carlos e, ainda, do superintendente-executivo regional, Luciano Lacerda, além do presidente da Sincor-MS, Arnol Lemos e demais representantes locais de operações e comercial.

Outra grande novidade é o lançamento do seguro Auto Light, sua primeira cobertura low cost no segmento automotivo, com valor em média até 30% mais barato que o seguro auto tradicional. A Bradesco Auto/Re aposta em preços competitivos para atender cada vez mais às demandas dos consumidores e ampliar o acesso ao seguro auto em todo Brasil. No Mato Grosso do Sul, apenas 1,40% da população possui automóveis segurados, enquanto em São Paulo, por exemplo, o número sobe para 30,4%, segundo dados da Sindipeças. Em razão da pouca penetração desse tipo de seguro na região, a Bradesco Auto\Re entende que o estado possui um mercado promissor. "Estamos no Mato Grosso do Sul, não somente com a expectativa de estar mais próximo dos consumidores, mas de oferecer atendimento rápido, completo e integrado com a qualidade dos serviços da Bradesco Auto/Re", destaca Herzog. Tanto no Mato Grosso do Sul quanto no Centro-Oeste, a Bradesco está em primeiro lugar em market share no mercado de seguro auto.

O mercado de seguros para automóveis está otimista com a retomada do crescimento do país. Durante os últimos três anos, a crise econômica que assolou o Brasil, provocou um aumento de estoque e envelhecimento da frota, causando prejuízos ao mercado. Em 2019 o setor voltou a crescer e uma situação mais confortável deve se estabelecer em médio e longo prazos "Quando a venda de veículos cresce, percebemos uma preocupação imediata das pessoas com segurança do seu patrimônio e na cobertura para terceiros", finaliza Herzog.

.

Parceria As redes Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo, que juntas formam o Grupo DPSP, um dos maiores players do varejo farmacêutico, oferecem vantagens exclusivas para clientes que possuem o plano de saúde Amil. A parceria, que já dura mais de quatro anos, inclui descontos especiais em medicamentos e itens de higiene e beleza, válidos para as lojas das marcas e no aplicativo Meu Viva Saúde, o primeiro aplicativo de transparência de preços do segmento de varejo farmacêutico.

"Entendemos a importância de parcerias como essa, por isso temos investido nesse tipo de ação, que possibilita ao nosso público ter as melhores condições de compra em uma ampla rede de farmácias das marcas pertencentes ao grupo, bem como a conveniência de acessar as ofertas do convênio de qualquer lugar e em qualquer momento, via aplicativo", comenta Thiago Almeida, gerente de Convênios do Grupo DPSP.

O cliente acessa o benefício e consulta os descontos disponíveis diretamente em uma das unidades das redes, apresentando a carteirinha do convênio, seguido de um documento de identidade; ou, se preferir mais comodidade, utilizando o aplicativo Meu Viva Saúde para visualizar e ativar de qualquer lugar as ofertas do plano de saúde. Por essa última opção, o cliente tem na palma da mão descontos personalizados, transparência de preços, carteirinha virtual, entre outros benefícios. E para realizar a compra também é muito fácil: após ativar as ofertas, basta se dirigir até uma loja para aproveitar. Os preços já estarão habilitados para pagamento no caixa.

Além das lojas físicas e do aplicativo, também é possível utilizar as vantagens exclusivas para clientes Amil nas compras realizadas pelo site ou televendas das marcas Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor