Advertisement

800 mil famílias não conseguem pagar dívidas

Conjuntura / 11 Outubro 2018

Inadimplência sobe e alcança maior patamar desde 2012

Subiu para 20,6% o percentual das famílias paulistanas que não conseguiram quitar suas dívidas em setembro, a terceira alta consecutiva. De acordo com a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (FecomercioSP), o crescimento alcança o maior patamar desde maio de 2012, totalizando quase 804 mil famílias.
A análise indica que a proporção de famílias que têm dívidas também cresceu, passando de 53,6% em agosto para 54,5% no mês de setembro. A FecomercioSP registra que hoje existem 2,13 mi-lhões de famílias na capital paulista com algum tipo de dívida.
A FecomercioSP considera preocupante o fato de que 9,8% das famílias não conseguirão pagar essas dívidas em atraso no próximo mês e, portanto, permanecerão inadimplentes.
O estudo também revela que, levando em consideração a renda dessas famílias, o segmento que impulsiona a inadimplência está na faixa dos que recebem até dez salários mínimos, com um número que corresponde a 25,5% das famílias endividadas. Já no grupo com renda superior a dez salários mínimos, o número representa 8,9%.
Segundo o FecomercioSP, os dados de setembro indicam um quadro preocupante do orçamento doméstico, já que há uma persistência na taxa de inadimplência e no aumento de famílias que não irão quitar a dívida. De acordo com a Federação, a alta taxa de desempregados não permite melhora no curto prazo.
O cartão de crédito puxa o ranking. Em segundo lugar vêm carnês, financiamento de casa e financiamento de carro.