Seguros / 16:49 - 17 de mai de 2016

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor

SEG NOTÍCIAS - Custo médico-hospitalar bate recorde e cresce quase o dobro do IPCA O índice de Variação de Custos Médico-Hospitalares, principal indicador utilizado pelo mercado de saúde suplementar como referência sobre o comportamento de custos, registrou alta de 19,3% nos 12 meses encerrados em dezembro de 2015. Essa é a maior variação registrada pelo indicador produzido pelo Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (Iess) desde 2007. Até junho de 2015, o indicador apresentava alta de 17,2% no acumulado de 12 meses. A título de comparação, a inflação geral do país, medida pelo IPCA, ficou em 10,67% no ano passado. O VCMH/Iess é o principal balizador real da variação do custo médico-hospitalar apurado de planos individuais de saúde para indicar o potencial reajuste das mensalidades desses planos, que deve ser anunciado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) nas próximas semanas. A ANS calcula e autoriza o reajuste, porém, com base em uma amostra de planos coletivos. "Temos alertado, nos últimos anos, que toda a estrutura de custos da saúde suplementar no Brasil está orientada para crescer de forma contínua. No mundo todo os custos da saúde crescem acima da inflação. O caso brasileiro é, porém, muito mais grave. Aqui, as falhas de mercado potencializam a escalada de custos", afirma Luiz Augusto Carneiro, superintendente-executivo do Iess. "Se o ritmo de crescimento dos custos continuar, nem as operadoras e nem os contratantes dos planos terão condições de arcar com os custos do plano. Operadoras, prestadores de serviços de saúde, governo e beneficiários precisam debater a modernização do sistema, sob o risco de não existir um futuro para esse setor se isso não for feito", enfatiza. O VCMH/Iess capta o comportamento dos custos das operadoras de planos de saúde com consultas, exames, terapias e internações. O cálculo utiliza os dados de um conjunto de planos individuais de operadoras, e considera a frequência de utilização pelos beneficiários e o preço dos procedimentos. Dessa forma, se em um determinado período os beneficiários usavam em média mais os serviços e os preços médios aumentam, o custo apresenta uma variação maior do que isoladamente com cada um desses fatores. A metodologia aplicada ao VCMH/Iess é reconhecida internacionalmente e aplicada na construção de índices de variação de custo em saúde nos EUA, como o S&P Healthcare Economic Composite e Milliman Medical Index. O recorde do VCMH/Iess acontece num momento particularmente importante para o mercado de saúde suplementar. Em 2015, cerca de 766 mil beneficiários saíram do mercado. Até março de 2016, em comparação ao mesmo mês de 2015, as perdas de beneficiários chegaram a 1,33 milhão. Carneiro diz ser preocupante o fato de os custos crescerem praticamente o dobro da inflação geral do país apesar da base de beneficiários ter diminuído. "O Brasil é um caso único no mundo, conforme demonstramos em estudo recente, no qual os custos de saúde não diminuem quando há queda de atividade econômica. Isso demonstra bem como o mercado local precisa se aperfeiçoar", observa. A decomposição dos 19,3% do VCMH/Iess indica que 10,7 pontos porcentuais (p.p) decorreram de internações, 4,8 p.p. de exames, 1,8 p.p. de consultas e 1,7 p.p. de terapias. Carneiro explica que fatores estruturais estimulam a expansão dos custos. Essencialmente, o atual modelo de pagamento das operadoras a prestadores de serviços de saúde, a adoção de novas tecnologias sem uma análise criteriosa de custo e eficiência e o processo de envelhecimento populacional estabelecem as condições para o aumento contínuo dos custos. Essas condições são potencializadas por fatores conjunturais, caso da maior utilização do plano pelos trabalhadores que têm expectativa de perder o emprego – e por extensão o benefício – e também pelos insumos precificados em dólar, sofrendo aumentos por conta da desvalorização do real verificada no ano passado. Em sua visão, a agenda de melhoria da estrutura financeira e assistencial da saúde suplementar, visando equilíbrio entre receitas e despesas das operadoras, deve ser focada nas deficiências estruturais. O modelo de remuneração das operadoras a hospitais hoje em prática, por exemplo, conhecido como "conta aberta", ou fee for service, estimula o desperdício e a ineficiência, de modo a "inflar" a conta hospitalar. Carneiro observa que as melhores práticas mundiais são aquelas que premiam a eficiência e o desperdício e garantem a melhor assistência ao paciente. Da mesma forma, o Brasil precisa ser mais criterioso na adoção de novas tecnologias, considerando se elas representam ganhos comparativos às já aplicadas e, principalmente, se a estrutura do sistema consegue absorver esses custos adicionais. Outro ponto está em combater as falhas de mercado que comprometem a competição nos segmentos de fornecedores de insumos médicos e de prestadores de serviços. Para isso, o Brasil precisa avançar na agenda da transparência de informações e qualidade do mercado. . DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL
CVG-RJ oferece curso de Previdência Privada Com o objetivo de capacitar os profissionais do segmento de Pessoas, o Clube Vida em Grupo do Rio de Janeiro (CVG-RJ) promoverá, de 7 a 9 de junho, das 18h30 às 20h45, curso de Previdência Privada com a especialista Kely Gallego, gestora de Relacionamento Empresarial em Previdência da Icatu Seguros e Previdência. Os participantes terão a oportunidade de aprofundar os seus conhecimentos em temas importantes como o histórico da Previdência no Brasil; Previdência Privada; técnicas de abordagens e vendas; e remuneração dos corretores, entre outros. Inscrições pelo e-mail secretaria@cvgrj.com.br ou por telefone: (21) 2203-0393 e 2213-2787. Garanta a sua vaga. O evento acontece no auditório do CVG-RJ (Rua do Ouvidor, 159/12º andar, Centro - Rio). O investimento é de R$ 100 para sócios do CVG-RJ e R$ 120 para não-sócios e os certificados são emitidos pelo CVG-RJ. . Simpósio Paranaense de Seguros - O 7º Simpósio Paranaense de Seguros, maior evento do calendário anual do Sindicato dos Corretores de Seguros do Paraná (Sincor-PR), será assegurado pela Berkley, nos dias 18, 19 e 20 de maio, no Espaço Torres, em Curitiba. O encontro deve receber cerca de 500 corretores, representantes de seguradoras e autoridades do mercado securitário local que terão a oportunidade de ampliar as relações entre profissionais do setor e discutir questões voltadas ao desenvolvimento da área. A Berkley irá assegurar o evento através do Seguro Eventos, produto desenhado com coberturas específicas de Responsabilidade Civil relacionadas a possíveis prejuízos decorrentes de danos materiais e corporais causados ao público, palestrante, assim como a funcionários que participarão da organização do simpósio. "A Berkley não poderia deixar de marcar presença nesse destacado evento promovido pelo Sincor do Paraná. Tenho certeza que será um grande sucesso, com aproveitamento total dos participantes em relação aos temas abordados", diz o diretor comercial da companhia, Carlos Gabriel Prezenszky. Mais informações sobre o evento: www.sincor-pr.org.br/simposio. . SEGURO CIDADÃO
Número de veículos roubados continua alto Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública, em algumas delegacias foram registrados até 5200 boletins de ocorrência neste ano. Para quem não deseja passar por isso, e nem ser assaltado enquanto está parado no trânsito, o Grupo GR, uma das principais empresas de segurança patrimonial, selecionou algumas dicas de como evitar o roubo de veículos. As dicas são de Fabio Milani, gerente geral operacional e especialista em Segurança do Grupo GR. Segundo ele, no carro, evite adesivos, placas ou crachás que identifiquem o local onde você mora ou costuma frequentar; ao parar nos semáforos, fique atento ao retrovisor de seu carro e mantenha o veículo engatado em 1ª marcha e distante do carro da frente o suficiente para arrancar, em caso de emergência; evite atividades que tirem sua atenção do ambiente ao seu redor quando estiver parado (ex.: maquiar-se, falar ao celular, ler jornal, etc.); se for fumante, não fume parado no trânsito e muito menos com a janela aberta, pois essa conduta facilita a ação de criminosos; se perceber estar sendo seguido por outro veículo, procure agir com naturalidade e dirija-se para ruas movimentadas; evite ostentar o uso de joias, celulares, notebooks ou tablets; atentar, ao chegar ou sair de casa, para a presença de estranhos nas imediações; jamais dê carona a estranhos e não pare para auxiliar outros motoristas em locais ermos e horário avançado; procure não transportar valores em seu carro quando estiver desacompanhado(a); se um dos pneus esvaziar sem motivo aparente, não pare no primeiro momento, procure um lugar seguro para efetuar a troca; evite deixar seu carro estacionado na rua, principalmente durante a madrugada; procure estacionar em ruas iluminadas e próximo a locais vigiados dia e noite; desligue o carro, retire a chave do contato e tranque o veículo ao estacionar, mesmo que por poucos minutos; evite namorar dentro do carro, principalmente à noite e em lugares desertos; não pare para discutir "fechadas" ou "batidinhas". É comum que ladrões provoquem isso, só para assaltar. Se você desconfiar de algo, dirija-se até um local movimentado e procure uma viatura ou posto policial; e, principalmente, Fabio Milani lembra: "cuidado com falsos mecânicos, sempre solícitos, que aparecem 'milagrosamente' para ajudá-lo em locais ermos, tão logo seu carro entre em pane. Sinalize seu carro e peça apoio para a primeira viatura de polícia que cruzar por você." . ENDOSSANDO
Casa em Ordem - A Porto Seguro Faz, empresa de serviços de conveniência e de emergência da Porto Seguro, lança a campanha Casa em Ordem que oferece até 20% de desconto em serviços voltados para a organização e limpeza da casa. A promoção está disponível entre os dias 16 e 22 de maio em São Paulo. Entre os serviços residenciais oferecidos, destacam-se fixação de utensílios para cozinha e banheiro, ornamentos como prateleiras e cortinas, instalações elétricas como tomadas, interruptores e chuveiros e limpeza e higienização de caixa d’água, sofás, colchões, poltronas, e aparelhos de ar-condicionado, entre outros. "O compromisso da Porto Seguro Faz é oferecer soluções para os possíveis desafios diários como limpeza e organização residencial e, com essa campanha, queremos ampliar a oferta do nosso serviço a um número ainda maior de pessoas", explica Marcos Loução, diretor da Porto Seguro Faz. O cliente que desejar solicitar a visita do prestador da Porto Seguro Faz, basta informar o dia e o horário por meio do site www.portosegurofaz.com.br ou ligar para a Central de Relacionamento 3003-3329 (3003-3FAZ), disponível 24h em todos os dias da semana. . IRB Brasil Re patrocina o musical "Nuvem de Lágrimas" O IRB Brasil Re patrocina "Nuvem de Lágrimas", musical sucesso de crítica e público que já passou por São Paulo e chega ao Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro, está em cartaz aa´te o próximo dia 29. O espetáculo é uma adaptação do romance inglês "Orgulho e Preconceito" para o universo urbano contemporâneo do interior do país e foi criado a partir do repertório de Chitãozinho e Xororó. "O nosso objetivo é incentivar e apoiar a cultura no Brasil. O IRB se orgulha de poder ser parceiro de eventos como esse e vamos continuar trabalhando para isso", afirma José Carlos Cardoso, presidente da empresa. Na história, jovens casais, antigos amantes e familiares precisam se livrar de orgulhos e preconceitos para vivenciar relacionamentos plenos. "Nuvem de Lágrimas" está em cartaz sextas, sábados e domingos, em horários diversos, até 29 de maio. O Teatro Oi Casa Grande fica na Avenida Afrânio de Melo Franco, 290 - Leblon. . Finalista do Prêmio Renato Castelo Branco, da ESPM O filme Chantagem, que integra a mais recente campanha do movimento Obesidade Infantil NÃO, da Amil, está entre os cinco finalistas do Prêmio Renato Castelo Branco, iniciativa da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) para homenagear ações que promovam a sustentabilidade por meio da propaganda. Um dos diferenciais do prêmio é que não há inscrições: os concorrentes são indicados por 7 mil alunos de Graduação da ESPM. Com duração de 30 segundos, o vídeo escolhido conta com depoimentos reais de crianças sobre as artimanhas que usam para convencer seus pais a deixarem-nas comer o que desejam. A peça foi selecionada entre cerca de 250 campanhas e concorre na categoria Empresas - Melhor Filme de TV ou Cinema. Realizada na cidade de São Paulo, a premiação acontece dia 18/5, após etapa de votação pública, e conta com a participação de estudantes e profissionais de marketing e comunicação das melhores universidades, empresas e agências de propaganda do país. . País perdeu mais de 23 mil leitos na rede pública em cinco anos Em cinco anos, o Brasil perdeu 23.565 leitos de internação hospitalar na rede pública do país, de acordo com dados divulgados hoje (17) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Entre dezembro de 2010 e dezembro de 2015, o número de leitos para uso exclusivo do Sistema Único de Saúde (SUS) baixou de 335,5 para 312 mil. Os dados foram levantados pelo conselho, com base no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Ministério da Saúde. As regiões Sudeste e Nordeste foram as que mais perderam leitos no período. Ao contrário do que ocorreu no caso da internação, houve alta de 23% nos leitos destinados a Unidade de Terapia Intensiva (UTI), dedicadas a tratamentos mais complexos. Na Região Sudeste, entre 2010 e 2015, foram fechados 13.086 leitos de internação e, no Nordeste, 6.948. Em seguida, estão as regiões Centro-Oeste (1.825), Sul (1.193) e Norte (513). Dos 27 estados, apenas 8 tiveram aumento nos leitos entre 2010 e 2015, entre eles, o Rio Grande de Sul, Mato Grosso e Rondônia. As especialidades mais afetadas, em escala nacional são a psiquiatria, a pediatria cirúrgica, obstetrícia e cirurgia geral. O presidente do CFM, Carlos Vital, atribui a redução ao financiamento e gestão inadequados dos recursos destinados à saúde. "Há necessidade de mais orçamento para a saúde no Brasil e há que se ter também uma competência administrativa para a correta escolha das prioridades e essa competência, se existe nesses últimos anos, o governo tem escondido muito bem. E um controle e avaliação eficaz para impedir a alarmante escala da corrupção que atinge a área da saúde", disse. Pela manhã, o recém-empossado ministro da Saúde, Ricardo Barros participou de um evento em Brasília e comentou com jornalistas o levantamento que seria divulgado pelo CFM. Segundo Barros, a solução passa pelo aprimoramento da gestão. "Existem UPAs fechadas, existem postos de saúde e unidades básicas de saúde fechadas, existem ambulâncias do Samu paradas, existem equipamentos comprados encaixotados em unidades de saúde. Esse dinheiro que está mal aplicado e que não alcançou ainda o seu objetivo nós vamos priorizar para que não haja uma visível má aplicação do recurso público", afirmou. Os dados apurados pelo CFM mostram que dos 5.570 municípios dos municípios brasileiros, apenas 505 têm leitos de UTI e revelam um desequilíbrio na distribuição geográfica dos leitos. O Sudeste concentra 54% dos leitos de unidades de terapia intensiva disponíveis no país. O Norte tem a menor proporção com apenas 5% de todos os leitos. Quando observadas as capitais, elas concentram 44% dos leitos de UTI do SUS e 57% dos leitos privados no Brasil.

Siga o Monitor no twitter.com/sigaomonitor