Ásia é maior potencial para exportações do agro brasileiro

Negócios Internacionais / 07 Agosto 2017

O agronegócio brasileiro vai continuar, nos próximos anos, com a responsabilidade de sustentar os superávits comerciais brasileiros, pautado na exportação de commodities para mais de 200 países. No entanto, o governo precisará se preocupar cada vez mais com o mercado internacional, porque existe risco grande de redução de exportação dos produtos brasileiros no Ocidente. A saída estará na Ásia, que detém 61% do mercado mundial, com destaque para China, Índia, Indonésia, Japão e Coréia do Sul, que já se consolidam como grandes consumidores do futuro. O Brasil precisa se inserir ainda mais, urgentemente, nesses mercados mais dinâmicos.

Esse foi o principal recado passado por dois dos melhores especialistas brasileiros em questões globais do agronegócio: Marcos Sawaya Jank, consultor da Agência para o Programa de Acesso a Mercados do Agronegócio e Alimentos (PAM-Agro); e Augusto Castro, gerente executivo da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil). Ambos participaram de uma videoconferência com a diretoria da Embrapa no último dia 19 de julho, com transmissão para todas as unidades descentralizadas, e falaram sobre como agregar valor à parceria comercial com os países asiáticos. Destacaram a importância da presença naquele mercado, onde a Embrapa tem papel estratégico, e a busca por melhoria na qualidade dos produtos exportados.

 

Exportação expressiva de carne bovina

As exportações de carne bovina tiveram crescimento acima de 31% em julho, as negociações geraram um faturamento de US$ 540 milhões, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec). No mês passado, foram embarcadas aproximadamente 129 mil toneladas, o que representa um incremento de 22,9% se comparado com os resultados obtidos em julho do ano passado. Além disso, as exportações de carne bovina in natura tiveram aumento de 38,5% na comparação com julho de 2016, alcançando US$ 451 milhões em faturamento. Em volume foram mais de 106 mil toneladas, o que representa uma alta de 29,5% sobre o total dos embarques realizados no mesmo mês do ano passado. Os resultados comparativos com junho desse ano também foram positivos para essa categoria, crescimento acima de 7% em faturamento e 6,8% em volume.

 

Docas RJ credencia Área de Apoio Logístico

No dia 31, o diretor-presidente da CDRJ, Tarcísio Tomazoni, certificou a empresa Finco Comércio, Indústria & Logística Marítima, representada por Mauro Campos, como Área de Apoio Logístico Portuário – AALP do Porto do Rio de Janeiro. Trata-se de uma ação inovadora. Instalada em uma área de 60.000 m2 no Bairro do Caju e com 283 vagas para caminhões e carretas, a AALP do Porto do Rio de Janeiro é um empreendimento 100% privado. As AALPs foram concebidas para atuarem integradas ao Sistema Portolog da Secretaria Nacional de Portos, na otimização do fluxo de cargas destinadas aos portos, por via rodoviária, organizando os seus acessos, as vias no seu entorno e diminuindo o conflito porto-cidade.

 

Madeira bruta lidera exportações do segmento

A madeira bruta aparece em primeiro lugar no ranking das exportações brasileiras do setor florestal nos seis primeiros meses de 2017, com alta de 37,8% em tonelagem na comparação com o mesmo período do ano passado conforme relatório do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). A lista conta ainda com madeira laminada, que teve uma alta de 21,7%, serrada (18,3%), compensada (12,4%) e móveis e suas partes (0,8%). Esse cenário do setor vai ao encontro do bom desempenho das exportações de madeira da Allog International Transport, que registrou uma alta de 69% de janeiro a junho deste ano. De acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria da Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), os Estados Unidos são o maior comprador individual de compensados de pinus produzido no Brasil, com 34% de participação nesse mercado, seguidos de perto pela Europa, responsável por 30% das compras.

 

Calçados brasileiros em feira nos EUA

A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), leva 31 marcas brasileiras para participação na FN Platform, a principal mostra do setor nos Estados Unidos. O evento acontece entre os dias 14 e 16 de agosto, em Las Vegas. Segundo a analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruisa Scheffel, que acompanhará a ação, a FN Platform é uma ótima plataforma para posicionamento de marcas no mercado norte-americano. “A cada edição, notamos que as empresas brasileiras estão se consolidando no mercado, com suas próprias marcas”, avalia. A analista ressalta que os Estados Unidos são o principal destino dos calçados brasileiros no exterior, porém ainda muito focado em private label (sem marca própria). “A adesão constante por parte das empresas, mantendo um número de marcas acima de 30 a cada edição, mostra que os brasileiros buscam novos desafios, investindo fortemente para posicionar suas marcas neste mercado tão competitivo”, acrescenta.

 

Câmara Ítalo-Brasileira debate investimentos

A Câmara Ítalo-Brasileira de Comércio e Indústria do Rio de Janeiro acaba de reunir seu conselho de infraestrutura e logística, instituído para estimular interação entre as empresas italianas e brasileiras. Entre os objetivos da nova estrutura, que começou suas atividades em julho, estão a preparação das empresas para um novo ciclo de expansão e recuperação econômica do Brasil e a qualificação e chancela do conselho, que conta com 14 integrantes, como a estrutura adequada para o debate de propostas para a melhoria do ambiente de negócios, divulgação de oportunidades e promoção de eventos setoriais. “Entre os temas discutidos estão a racionalização da burocracia alfandegária, necessária para estimular o comércio entre o Brasil e os países parceiros e alterações no sistema da cabotagem no Brasil. Os conselheiros concordam que é fundamental revolucionar esse sistema de transporte interno para torná-lo mais acessível e eficiente”, conta Raphael Zaroni, sócio do Zaroni Advogados, integrante do Conselho.

 

Aberta inscrição para rodadas de negócios em Orlando

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) está coordenando a participação das empresas brasileiras em duas ações na Efficient Collaborative Retail Marketing (ECRM), rodada de negócios direcionada ao complexo de alimentos e bebidas nos Estados Unidos, entre os dias 20 e 24 agosto em Orlando, Flórida. As inscrições estão abertas e vão até o dia 10 de agosto. Informações: www;apexbrasil.com.br

 

Contato com o colunista: editor@exportnews.com.br