Advertisement

Índice Big Mac mostra desvalorização de 20,1% do real frente ao dólar

Londres, Reino Unido - À medida que as tensões comerciais globais continuam aumentando, o último índice Big Mac da The...

Conjuntura / 12 Julho 2018

Londres, Reino Unido - À medida que as tensões comerciais globais continuam aumentando, o último índice Big Mac da The Economist mostra que o dólar americano está supervalorizado em relação à maioria das moedas do mundo, incluindo o Euro e a Libra Esterlina em 16% e 30%, respectivamente. Segundo o índice, apenas o franco suíço (19%) e a coroa sueca (6%) aparecem supervalorizados em relação ao dólar.

O preço do Big Mac no Brasil é de R$16,90 e US$5,51 nos Estados Unidos. A taxa de câmbio implícita é de 3,07. A diferença entre esta e a taxa de câmbio real, 3,84, sugere que o real brasileiro está desvalorizado em 20,1%.

A coroa norueguesa agora aparece desvalorizada em 5%, após uma supervalorização de 18% em janeiro. Isto deveu-se ao fato de o McDonald's terreduzido o preço dos Big Macs em 14%, e não por causa da força do dólar em relação à coroa.

A maior queda em comparação a janeiro foi o peso argentino, cujo recente colapso em relação ao dólar o levou de uma subvalorização de 25% para 51% agora. Já a libra egípcia é agora a moeda mais barata do índice; 68% de subvalorização em relação ao dólar. Treze novas moedas foram adicionadas ao índice, todas com desvalorização em relação ao dólar.

O índice Big Mac da The Economist foi inventado em 1986 como um guia para saber se as moedas estão no nível "correto". Ele se baseia na teoria da paridade do poder de compra (PPC), a noção de que no longo prazo as taxas de câmbio deveriam avançar em direção à taxa que igualaria os preços de uma cesta idêntica de bens e serviços (neste caso, um hambúrguer) em dois países.

Desde o seu lançamento na versão impressa há 32 anos e como um painel on line em 2012, o índice interativo Big Mac passou por sua mudança mais radical com esta versão. Com base em milhares de interações de usuários e respostas a pesquisas, o painel interativo foi otimizado para dispositivos móveis e simplificado para torná-lo mais compreensível para leitores iniciantes, mantendo a profundidade de dados e análises que os usuários veteranos esperam.